Home

Finpartner

Services

Ideas & Insights

Team

Partnerships

Webstore

Contacts

Finpartner is ISO 9001:2015 certified.



Newsletter Junho 2021

Jul 2, 2021 | 0 comments

Newsleter Junho 2021

 

Portugal poupou 5,3% do PIB com juros mais baixos dos empréstimos

Segundo o Mecanismo Europeu de Estabilidade, entre 2011 e 2019, Portugal poupou cerca de 5,3% do Produto Interno Bruto (PIB) por ter beneficiado de juros mais favoráveis dos empréstimos europeus concedidos no âmbito do programa de ajustamento.

Ainda assim, a pandemia de covid-19 levou a uma recessão económica de 7,6% de 2020, devido à acentuada queda acentuada no consumo privado e nas exportações, resultado do aumento das medidas de restrição implementadas e da situação de incerteza instalada.

Segundo o retrato da MEE, a pandemia travou a recuperação do setor bancário, embora garantias do Estado às moratórias tenham constituído um bom “amortecedor”.

 

Portugal “terá a ganhar” com acordo tributário global

O acordo tributário global visa assegurar uma tributação mínima do lucro das grandes multinacionais, como preconizado no acordo alcançado pelo G7, e as expectativas face ao mesmos são bastante positivas.

Ainda assim, o sucesso da implementação da medida dependerá sempre da articulação entre a taxa mínima global sobre os lucros das empresas, e a atribuição de direitos fiscais aos países em que operam, e não apenas onde se encontram sedeadas.

Segundo um estudo divulgado na semana passada pelo novo Observatório Fiscal da União Europeia, Portugal poderia arrecadar 100 milhões de euros este ano se taxasse o lucro das multinacionais a 15%.

 

Turismo mantém crescimento em maio com 1 milhão de hóspedes e 2,1 milhões de dormidas

O alojamento turístico registou um milhão de hóspedes e 2,1 milhões de dormidas em maio, representando, desse modo, um crescimento face a 2020.

A autoridade estatística nacional referiu ainda que “os níveis atingidos em maio de 2021 foram, no entanto, inferiores aos observados em maio de 2019, tendo diminuído o número de hóspedes e de dormidas, 62,3% e 68,6%, respetivamente”.

Estas variações são essencialmente influenciadas pelo facto de nos primeiros meses de 2020 ainda pouco se ter feito sentir o impacto da pandemia. Ainda assim, assistimos a uma recuperação tendencialmente benigna deste setor.

O mercado britânico representou 25% do total de dormidas de não residentes, seguindo-se os mercados espanhol (14,3%), alemão (10,8%) e francês (9,0%).

 

Finpartner WhatsApp
Send via WhatsApp
Share This